Bolo de banana sem açúcar e sem farinha

Até um tempo atrás eu tinha esperança de encontrar fórmulas mágicas de bolos deliciosos para celíacos, diabéticos, veganos e toda a turma dos que tem alguma restrição alimentar seja lá qual for o motivo. Porque muitos clientes pediam e principalmente porque na minha família e entre os meus amigos tem tudo quanto é tipo de intolerante.

Mas depois de muitos testes e bolos no lixo (e consequentemente dinheiro também) a esperança, confesso, entrou em coma. Porque me dei conta de que realmente não existe (para o meu paladar) nada que seja realmente tão bom quanto os bolos que tem ingredientes que fazem mal (à saúde e/ou ao reino animal). Claro que falo apenas por mim, porque meus amigos veganos, por exemplo, defendem veementemente que seus bolos além de mais éticos e saudáveis são também mais gostosos. Daí vem a questão do gosto. Eu, particularmente, não gosto.

Por isso sempre desconfio desses bolos sem quase nada do que seria básico para ser fofinho e gostoso. Mas, de vez em quando, sou instigada a testar alguma receita que me aparece como uma grande descoberta por ser fácil, rápida, gostosa e saudável.

Participo de alguns grupos sobre comida no Facebook e num deles rolou esta receita de bolo de banana sem açúcar e sem farinha. Bem na semana em que eu estava com a cozinha cheia de bananas maduras e num esforço de reduzir consideravelmente o açúcar da minha alimentação para amenizar os efeitos de um refluxo esofágico e evitar o despertar de uma gastrite.

Digamos que com este bolo o processo de adaptação foi mais fácil. Na primeira mordida senti falta do açúcar (porque sou “doçólatra” ou algo parecido com isso). Mas a partir do terceiro pedaço (sim, às vezes sou uma draga) dá pra comer numa boa sem fazer cara feia. Não que seja a oitava maravilha, mas é um bolinho honesto e acompanha bem o chazinho (sem açúcar, claro) da tarde.

_LIN2288

Ingredientes (receita pequena, para fôrma de bolo inglês)

– 2 bananas nanicas bem maduras (quanto mais madura, mais doce)

– 1 xícara de aveia

– 1/2 de xícara de óleo

– 2 ovos inteiros

– 1 colher de sopa de fermento em pó

– 1/2 xícara de uvas passas pretas

– 1 colher de café de canela (opcional)

Modo de preparo

Unte a fôrma com manteiga (não costumo enfarinhar e o bolo não gruda).

Bata no liquidificador os ovos, a banana e o óleo.

Numa vasilha, misture a aveia, a canela e o fermento. Adicione a massa do liquidificador e misture bem com um fouet (batedor manual) ou uma colher grande.

Acrescente as uvas passas, mexa bem e coloque na forma.

Asse em forno médio por cerca de 30 minutos ou até dourar.

_LIN2275Depois que esfria, o bolo dá uma afundadinha. Mesmo assim, fica fofinho.

 

Um pouco de consideração e um bolo de chocolate diet

Certa noite, fui a um encontro de amigos com cupcakes e potinhos de brigadeiros. O pessoal enlouqueceu logo que cheguei. Menos uma pessoa, que eu não sabia que estaria lá. Era uma amiga que não pode ingerir açúcar, por ser portadora de um mal tão grave quanto à diabete. De cara, fiquei preocupada. Porque eu acredito que, pelo menos naquela época, ela ainda sentia vontade de comer os doces que via, mesmo sem dizer nada.

– Amiga 1: Nossa, que delícia esse brigadeiro com cerejas!

– Amiga 2 (a que não pode): Brigadeiro é tudo de bom, né? (resistindo bravamente)

Meu coração partiu ao presenciar essa cena. Desde então, sempre que posso, levo algo que ela possa comer quando sei que vou encontrá-la.

Ontem fui à inauguração do apartamento dela. E, obviamente, pensei em mil ideias para preparar algo especial. Daí, lembrei que comprei a edição especial sobre Diabete da revista Saúde. Nem tanto pelas informações repetitivas, mas sim pela curiosidade de ver as receitas propostas. Encontrei uma foto linda de um “bolo prestígio molhado”.  Pensei: será este!

Não tive tempo de testar primeiro. Fiz o bolo uma hora antes de ir pra lá. Tanto que o levei morninho. A amiga disse que gostou, assim como alguns outros amigos que não têm nenhuma restrição ou intolerância ao açúcar. Eu, particularmente, achei que poderia ter ficado melhor, de aparência e de sabor.

Na foto da revista, tanto o recheio quanto a cobertura aparecem em camada grossa.  Os meus cremes mal pegaram toda a extensão do bolo. Acho que a minha versão ficou mais amarga do que realmente deveria ficar e a massa não ficou molhada. Mas, apesar de tudo, ficamos felizes e acredito que essa receita pode ficar melhor.

Fica para a próxima vez.

Bolo prestígio molhado

Receita criada pela nutricionista Maristela Bassi Strufaldi, da Associação Diabetes Brasil (ADJ)

Ingredientes:

– 4 ovos

– 1 colher de adoçante para forno (na minha opinião, o melhor é o Tal & Qual)

– 2 colheres (sopa) de farinha de trigo peneirada

– 1 colher (sopa) de fermento em pó

– 2 colheres (sopa) de chocolate em pó diet (talvez meu bolo tenha ficado amargo porque usei cacau 100% sem adição de açúcar. Nunca prestei atenção no chocolate em pó diet. Deve ter adoçante nele…)

– Margarina light e farinha para untar e polvilhar a fôrma

– 1 copo de refrigerante diet de seu gosto para molhar o bolo (o meu ficou seco porque acabei colocando leite de coco – que não foi bem absorvido. Não providenciei o refrigerante porque eu queria colocar rum. Mas quando cheguei em casa, me dei conta de que havia deixado a garrafa no atelier).

Recheio:

– 1 1/2 copo de leite desnatado

– 1 pacote de pudim diet sabor coco

(Para ficar na espessura que vi na foto, deveriam ser dois pacotes, no mínimo).

Cobertura:

– 1 1/2 de leite desnatado

– 1 pacote de pudim diet sabor chocolate

– 50g de coco ralado light

Modo de preparo:

Bata as claras em neve. Adicione as gemas e o adoçante. Junte a farinha, o fermento e o chocolate e misture levemente. Despeje em uma fôrma untada e polvilhada. Asse em forno médio, preaquecido. Desenforme, corte ao meio e reserve.

Recheio e cobertura:

Misture um copo de leite com o pó para pudim e leve ao fogo para engrossar. Retire do fogo, adicione o leite restante e mexa bem. Repita o processo para a cobertura.

Umedeça o bolo com meio copo de refrigerante e coloque o recheio. Cubra com a outra parte da massa molhada, espalhe a cobertura e decore com o coco.

Foto: Tuca Figueira